Independentemente do tipo de negócio, é muito importante para qualquer empresa ter um conhecimento profundo sobre suas finanças para obter controle sobre o dinheiro que entra e que sai. Nesse sentido, saber o que é ROI e como calculá-lo é uma forma precisa para saber o quanto de receita foi gerada a partir de algum investimento realizado e, por se tratar de um cálculo muito versátil, pode ser direcionado a diversos departamentos da empresa.

No Marketing, por exemplo, o ROI é um dos indicadores mais populares, pois é preciso saber se todos os esforços despendidos na atração de novos clientes estão trazendo retorno à organização. Então, siga lendo o post para entender do que se trata e como calcular.

O que é ROI?

ROI (ou retorno sobre investimento) é um cálculo usado para mensurar a quantidade de receita obtida em relação a um investimento inicial.

Trata-se de uma sigla para return on investment, e mostra o retorno obtido para cada real gasto em determinada atividade. O ROI é um dos indicadores que os gestores de marketing mais acompanham, já que é imprescindível que os investimentos nessa área estejam gerando um retorno financeiro dentro do esperado.

Além disso, é possível identificar onde é obtido maior lucro, quais estratégias são mais benéficas ao negócio e devem ser mantidas, e quais devem ser revistas.

Quando calculamos o ROI, geralmente levamos em conta o valor investido em todo o processo, e isso inclui também salários, outros custos fixos (como manutenção de equipamentos necessários), aquisição de materiais, etc.

Como calcular o ROI

O cálculo do ROI é o seguinte:

Fórmula ROI

Entrando em detalhes sobre a fórmula, podemos perceber algumas coisas importantes. Primeiramente, o cálculo do ROI deduz o custo da receita total antes de fazer a divisão pelo custo. Isso parte do pressuposto de que esse custo será o mesmo no próximo período, ou seja, ele não pode ser considerado um lucro, mas sim uma parte do dinheiro que é necessária para a sobrevivência do negócio e será novamente investida.

Em seguida, divide-se o resultado da subtração pelo custo, obtendo-se a receita gerada para cada real investido. A conta pode parar por aqui, mas se você quiser um valor em porcentagem, basta multiplicar o resultado final por cem.

O que entra em receita?

Em receita, considera-se todo o valor gerado a partir dos investimentos que estão sendo levados em conta. Por exemplo: se você está calculando o ROI do setor de marketing, a receita é todo o dinheiro que a empresa arrecadou graças ao setor de marketing.

Muitos gestores entendem por “receita” a quantidade de leads capturados, mas a receita é expressa em dinheiro apenas, ou seja, quantos contatos originados do marketing foram convertidos em clientes. Caso contrário, você não estará calculando o seu ROI real.

Se você está calculando o ROI de uma campanha específica, a receita é o dinheiro arrecadado apenas graças àquela campanha.

O que entra em custo?

Em custo leva-se em conta todo o dinheiro investido no processo. Por exemplo: se você está calculando o ROI do setor de marketing, entram aqui todos os salários da equipe, os investimentos em anúncios, os gastos com internet, domínios próprios, manutenção de equipamentos, etc. Se você está calculando o ROI de uma campanha em específico, o custo é o valor investido nela e outros gastos que possam ter ocorrido no processo.

Exemplificando o cálculo do ROI

Se você investiu R$ 500 em uma campanha, e a receita gerada foi de R$ 1000, basta realizar o cálculo 1000-500/500=1. Isso significa que para cada um real investido, você lucrou 1 real. Se você quiser uma porcentagem, basta multiplicar o resultado por cem. Nesse caso, a receita gerada foi 100% do valor investido.

Agora que já explicamos a formula, vamos entender a diferença entre o ROI, o ROAS, e o ROMI, porque muitos ainda confundem as três siglas e formulas.

Diferença entre ROI, ROAS e ROMI

Sobre o ROI e o ROAS, é preciso entender que, enquanto o ROI representa o retorno sobre o investimento, o ROAS (Return on Advertising Spend ou Retorno Sobre o Investimento Publicitário) representa o retorno sobre o custo com anúncios publicitários. Ou seja, as duas fórmulas são diferentes entre si e, quando calculamos o ROAS, levamos em conta apenas o valor gasto e o valor de receita gerada com anúncios.

Como calcular o ROAS?

O cálculo do ROAS é o seguinte:

ROAS = retorno obtido por meio dos anúncios / custos dos anúncios x 100

O cálculo do ROAS é mais simples do que o do ROI, pois não desconta o valor inicial investido. Sendo assim, se o resultado for 1 significa que não houve prejuízo, mas também não houve lucro.

E o ROMI?

Apesar de ser possível calcular o ROI de toda a empresa, é mais comum direcioná-lo para um setor em específico, como o marketing. Nesse caso, o ROI é chamado de ROMI (return on marketing investment) ou simplesmente de “ROI do Marketing”, como é mais conhecido.

Trata-se da mesma fórmula e leva em conta, também, os custos fixos e variáveis, mas olhando especificamente para o setor de marketing, e não para toda a empresa. Sendo assim, os salários contabilizados são apenas os da equipe de marketing, e a receita incluída no cálculo é apenas a que foi gerada através desse setor.

Quando usar cada um?

O calculo do ROI é muito mais completo e complexo do que o do ROAS, e permite uma melhor avaliação da saúde do negócio. Muitas vezes, o ROAS está muito bem e apresenta números favoráveis, mas quando o cálculo do ROI é colocado na ponta do lápis, percebe-se que o retorno não está cobrindo os gastos totais.

O ROI permite uma visão mais ampla sobre os investimentos. Como já foi dito, outros cálculos podem apresentar resultados favoráveis, mas quando o ROI é feito, ele pode mostrar um prejuízo. Isso porque ele leva em consideração diversos gastos que muitas vezes são deixados de lado na conta.

Além disso, ele permite saber quais são os investimentos que mais trazem retorno à sua empresa, quais são os canais de comunicação mais eficazes, etc. Às vezes é preciso aperfeiçoar certas estratégias, abandonar outras ou cortar gastos desnecessários.

É claro que é muito mais trabalhoso e demorado fazer a análise do ROI, mas no fim os resultados são mais precisos. Por isso ele é tão popular e importante nas empresas.

ROI no Inbound Marketing

Reza a lenda que o ROI do inbound marketing tende a ser maior. E sim, tende a ser, porque os custos envolvidos nesse tipo de estratégia costumam ser menores do que os do outbound marketing (marketing mais tradicional). Em comparação com o valor gasto em peças publicitárias veiculadas na televisão, rádio, ou jornais, o marketing de atração pode sair mais em conta, pois um blog corporativo, por exemplo, é propriedade dela e não há necessidade de pagamento para sua utilização.

Mas é claro que isso não é uma regra, afinal, tudo depende dos valores que uma empresa investe e lucra. Um blog corporativo que investe massivamente em produção de conteúdo terá mais gastos na contratação de funcionários que produzam e divulguem esses materiais, por exemplo.

Justamente por se tratar de uma estratégia de marketing que atrai os clientes até a empresa, muitas vezes pode ser difícil mensurar o retorno financeiro dessa estratégia. Afinal, como saber se esse lead entrou em contato com a minha empresa pelos esforços do marketing ou por algum outro motivo?

Nesse sentido, há muitos softwares que conseguem rastrear a origem dos contatos que chegam até vendas, e assim fornecer os dados necessários para calcular o retorno financeiro do departamento de marketing. Mas isso já é assunto para outro texto!

Por enquanto é importante entender que o ROI deve ser utilizado para otimizar as suas estratégias, para saber quais ações geram mais retorno à empresa e o que pode ser modificado para que essa taxa de retorno sempre aumente.

Mas além do ROI, também há uma série de outros indicadores de marketing que precisam ser acompanhados. Confira o nosso texto sobre o assunto e comece a mensurar as suas estratégias!