Pensar em investir em mídias pagas pode dar um frio na barriga. Definição de público, definição de tempo, orçamento, chamadas, plataformas… Bastante coisa, não é? Mas isso é o essencial, uma campanha de mídias pagas é baseada em definições.

Quer descomplicar tudo isso e aprender o que é preciso para uma estratégia de mídias pagas? Então acompanha esse post e vamos te ajudar a dar os primeiros passos nessa área do marketing:

O que são mídias pagas?

No marketing digital, mídias pagas são anúncios colocados na internet para gerar visibilidade de marca, engajar usuários, capturar leads, vender um produto etc.

Até uns anos atrás, era mais comum ver esse tipo de anúncio em rádios, televisão, revistas e jornais. As propagandas de TV, como os comerciais da Havaianas, ou as chamadas em rádio, como “o gerente ficou louco!” e “torra tudo”, são exemplos memoráveis disso.

Esses canais continuam fortes, mas a internet é um novo meio para colocar essa estratégia em prática. Ainda nesse post vamos falar sobre plataformas online, como as redes sociais. Mas, antes de saber onde anunciar, que tal descobrir o que de mais essencial existe em mídias pagas?

Como fazer uma campanha de mídias pagas?

Como fazer campanha de mídias pagas

Definir a persona

Trabalhar com mídias pagas permite entregar anúncios a um público segmentado. É possível personalizar categorias como idade, sexo, localidade, preferências e até área profissional, dependendo do canal.

A vantagem disso é evitar uma estratégia de “atirar para todos os lados” e focar no público que representa maiores chances de retorno: a persona. Com alguns dados e um pouco de pesquisa, você descobre onde encontrar e qual a melhor forma de abordar sua persona, além de, claro, entender a dor dela.

Já temos um texto completo contando tudo o que você precisa saber para criar personas.

template de persona

Definir o orçamento

Parece meio óbvio e pode até ser, mas o óbvio precisa ser ressaltado: mídias pagas envolvem dinheiro, e se a campanha não for bem planejada, isso pode trazer prejuízos. Essa definição envolve planejar orçamento, canais, objetivos, ferramentas e indicadores para acompanhar como as coisas estão indo.

O vídeo abaixo dá um exemplo de planejamento comercial e explica a importância desse planejamento. Confira:

Definir as chamadas

Uma coisa que pode ser difícil nas estratégias de mídias pagas são as chamadas dos anúncios. No Google Ads, por exemplo, o anúncio deve ter apenas 30 caracteres. Isso significa que a chamada deve ser impactante, atraente e falar sobre o seu produto ou serviço de maneira bem direta.

Boas práticas para contornar essa dificuldade envolvem afunilar bem as palavras-chave, contar com a criatividade, ou profissionais de copywriting e, claro, usar e abusar do SEO.

KIT - Materiais para potencializar o seu SEO

Definir o tempo

Esse papo pode ser um pouco mais complicado do que parece. Ao pensar em tempo, temos que pensar de duas formas: tempo da campanha e tempo do anúncio.

Veja a imagem para entender a diferença:

tempo em mídias pagas diferença entre tempo da campanha e do anúncio

Melhores canais para mídias pagas

De maneira geral, podemos dividir os canais em três categorias: redes sociais, mecanismos de busca e publicidade nativa.

Acompanhe esse esquema:

Principais canais de mídias pagas

É bom lembrar, principalmente nas redes sociais, que cada plataforma possui um “perfil” específico. Por isso, se quiser trabalhar com essa estratégia, não se esqueça de questionar se você está fazendo a coisa certa no lugar certo.

Para evitar erros, vamos falar um pouco sobre cada categoria:

Redes sociais

Muito populares nesse tipo de estratégia, as redes sociais segmentam o público de diversas formas e com critérios variados. As redes sociais mais utilizadas em mídias pagas são:

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter
  • LinkedIn

As plataformas dessa lista são bem diferentes umas das outras. Enquanto no Twitter é mais comum encontrar posts breves e informais, no LinkedIn o conteúdo é mais polido.

Para saber como abordar cada rede social, utilize a imagem abaixo como guia:

Perfil de cada rede social

Mecanismos de busca

Os mecanismos de busca são sites como Google, Bing e Yahoo. Eles entregam conteúdo a usuários que pesquisam palavras-chave ou dúvidas nesses sites. Para anúncios pagos, algumas ferramentas permitem pagar um certo valor em palavras-chave, fazendo com que o seu site apareça nos primeiros resultados das pesquisas.

Para ranquear anúncios no Google você precisa usar o Google Ads, mas não é tão simples quanto parece. Os anúncios do Google Ads são feitos em forma de leilão: quem tiver a maior oferta, detém domínio de tal palavra-chave. Para entender melhor como isso funciona, leia: Como colocar anúncios no Google?

Publicidade nativa

Esse tipo de publicidade é formada por anúncios em sites e redes sociais que se misturam com o conteúdo.

Em sites de notícias, por exemplo, eles seguem o mesmo layout das manchetes. Em redes sociais, assumem o formato de post e aparecem no feed do usuário. Isso é chamado de “anúncio in-feed”.

Uma grande vantagem da publicidade nativa é que ela não pode ser pulada, mas também não obriga o usuário a ver o anúncio. Ela surge de maneira amigável e casual, sem interromper bruscamente o que a pessoa está vendo.

A plataforma Taboola, por exemplo, é a responsável pelos anúncios em sites grandes como FOX, MSN e NBC. Além do Taboola, outros exemplos de publicidade nativa são:

  • Waze
  • Google Ad Manager
  • Outbrain
  • Network Audience (Meta)

Remarketing

O remarketing é um grande benefício das mídias pagas. Para explicar de maneira breve, quando um usuário entra no seu site ou interage com o seu anúncio, ele cria uma espécie de rastro (ou tag) que permite “seguir” a presença dele online. Veja o passo a passo:

fluxo de remarketing

As tags também listam interesses dos usuários que acessam seus canais, o que permite segmentar melhor a entrega dos anúncios. Mas atenção: privacidade online é uma grande preocupação das plataformas de anúncio. “Seguir a presença online” não significa saber onde uma pessoa está ou que ela está acessando.

Dito tudo isso, a sua maior dúvida agora deve ser como dar conta de todas essas informações, não é? Veja o próximo tópico:

Como organizar uma campanha de marketing?

Ao longo do post, reforçamos bastante que planejar é fundamental na estratégia de mídias pagas. Afinal, você não quer desperdiçar seu investimento e muito menos ter prejuízos, não é mesmo?

Para prevenir tudo isso, criamos um Canvas de Planejamento de Campanha de Marketing. Nós entendemos que organizar uma campanha aumenta as chances de sucesso dela, e queremos te ajudar a ter campanhas muito bem-sucedidas!

Acesse nosso material gratuito clicando no banner abaixo:

Canvas de Planejamento de Campanha de Marketing