Home Office pode até ser novidade em algumas empresas, mas isso não significa que se trata de algo difícil de implementar. Significa que você precisa do planejamento, das práticas e das ferramentas necessárias. É isso mesmo, manter os lucros e as vendas em home office é possível.

A evolução da tecnologia possibilitou uma série de coisas que, antes, nem passavam pela nossa cabeça. A transformação é constante e impacta em diversas áreas das nossas vidas, como o trabalho. Hoje, o trabalho remoto é algo comum e que tem  conquistado adeptos no mundo todo, tanto trabalhadores quando empresas.

Agora, se você ainda não sabe como implementar o home office efetivamente para os diversos setores da sua empresa, inclusive vendas, siga a leitura, pois vamos te ensinar! Nesse post você vai ver:

 

O que é home office?

Home office é um termo em inglês que significa escritório em casa. Basicamente, um home office é um espaço de trabalho montado em casa para que não seja necessário se deslocar até a empresa para trabalhar. No Brasil, usamos a expressão “fazer home office” para definir essa prática.

Algumas empresas adotam o regime de trabalho remoto por padrão para alguns cargos. Outras deixam essa possibilidade aberta para quando, eventualmente, algum colaborador decidir que não é um bom dia para sair de casa.

E, ainda, há momentos nos quais as empresas acabam não tendo muita escolha por motivos de força maior – a partir da pandemia do Coronavírus, por exemplo, que forçou muitas empresas a adotarem o trabalho remoto – e é nesses momentos que muitas se veem despreparadas.

Mas tudo bem, não há muito segredo em implementar o programa de home office em uma organização. Apenas alguns detalhes que precisam ser levados em conta. Quando feita adequadamente, essa modalidade de trabalho pode trazer diversos benefícios. Vamos conferir alguns deles?Vendas home office

Home office: principais benefícios

Ganho de produtividade

Algumas empresas mais conservadoras resistem ao home office por pensar que, se o colaborador estiver em casa, nada garante que ele realmente vai estar trabalhando, e talvez ele acabe se distraindo com seus afazeres domésticos.

Isso até pode se aplicar a algumas pessoas, mas, para a maioria, não é bem assim. Por mais surpreendente que possa parecer, inúmeras pesquisas comprovam que há ganho de produtividade na maior parte dos profissionais que trabalham em casa.

Um estudo da Peak Sales, voltado especificamente para vendas home office, mostrou que 77% dos trabalhadores a distância tiveram aumento na produtividade. Isso pode se dever a diversos fatores, como: aumento do conforto, o fato de estar sozinho em casa ajudar algumas pessoas a focar e o fim da necessidade de enfrentar o trânsito para trabalhar

Por exemplo: o paulistano leva, em média, 1 hora e 57 minutos para se deslocar pela cidade diariamente para trabalhar e estudar, segundo estudo realizado pelo Ibope em 2018. O home office elimina esse problema.

Redução de custos

Como você já deve saber, manter os colaboradores em uma estrutura física envolve uma série de custos relacionados ao deslocamento físico, como o vale-transporte, taxas de luz, internet e água.

Adotar o trabalho home office também pode ajudar a reduzir esses gastos, ao mesmo tempo que dispensa a necessidade de o colaborador enfrentar o transporte público ou cair no trânsito com seu próprio veículo.

Sendo assim, adotar o trabalho remoto pode ser benéfico financeiramente para muitas organizações.

Redução das distâncias

Em algumas empresas, é necessário haver vendedores e outros colaboradores espalhados em diversas regiões. É o caso de consultorias empresariais que atendem todo o país, por exemplo. Em alguns casos, é necessário até pessoas fora do território nacional.

O Home Office é uma alternativa para essas empresas, quando ainda não há um número suficiente de colaboradores ou condições financeiras para abrir novas filiais em outros locais.

Entretanto, nem tudo são flores. Home Office implementado de forma arbitrária e sem planejamento pode gerar alguns problemas, como:

  • Isolamento social: principalmente no caso de pessoas que moram sozinhas, fazer apenas home office pode levar ao isolamento social. Isso, por sua vez, pode gerar uma série de outros problemas, como insatisfação com o trabalho, falta de motivação e depressão.
  • Deficiência no crescimento profissional: quando um colaborador não tem contato direto com outros profissionais e com o funcionamento da empresa, sua evolução como profissional fica prejudicada, pois não há troca de experiências. A longo prazo, isso pode ser um problema grave em uma empresa.
  • Dificuldade de gerenciamento: é muito mais difícil para um líder gerenciar uma equipe que está em home office. É necessário que os colaboradores possuam responsabilidade e autonomia para realizar suas atividades corretamente.

Por isso é importante planejar bem como esse modelo será implementado. É necessário saber se o modelo se adequa ao contexto da sua organização, a quais cargos ele pode ser aplicado e com qual frequência será permitido a um colaborador trabalhar remotamente.

Diagnóstico de gestão de vendas

É para te ajudar com esses impasses que estamos aqui. Vejamos alguns dados importantes para quem quer começar a se aventurar nesse modelo:

A realidade do home office no Brasil

Segundo um levantamento feito pela consultoria de recursos humanos Randstad, 7 em cada dez brasileiros gostariam de trabalhar em casa ou em outro local. Entretanto, seu emprego atual não oferece essa possibilidade.

90% também afirmam que gostariam de trabalhar de modo mais flexível, para conseguir equilibrar melhor o trabalho e a vida pessoal.

Entretanto, é importante notar que o número de empresas que começou a adotar o Home Office aumentou em 22% entre 2016 e 2019, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades.

O home office na legislação

É importante lembrar que, caso o colaborador trabalhe majoritariamente no modelo de home office, há leis específicas para ele. Essas leis não se aplicam para casos nos quais o profissional trabalha em casa uma vez por semana, por exemplo. Nesse caso, a lei continua sendo a mesma utilizada para outros trabalhadores.

Entretanto, quando uma empresa contrata alguém para trabalhar sempre em home office, é preciso levar em conta algumas obrigações legais. A reforma trabalhista estabeleceu regras para o teletrabalho.

A empresa deve assumir a responsabilidade de oferecer equipamento ergonômico e um treinamento de segurança do trabalho, para evitar que ocorram danos à saúde física do empregado.

Outro ponto importante é que o regime de teletrabalho não precisa ter controle de jornada ou pagamento de horas extras. Isso porque a lei pressupõe que o pagamento ocorrerá por atividade realizada, e não por horas.

Porém, nada impede uma empresa de fazer pagamento por jornada. Isso é possível com a tecnologia, e pode ocorrer em empresas nas quais o funcionário preenche uma time sheet, especificando quantas horas trabalhou em cada atividade, além de um registro de ponto via aplicativo, por exemplo.

Também devem ficar definidas no contrato as atividades que deverão ser realizadas pelo empregado e as condições para aquisição e uso dos equipamentos. O colaborador, por sua vez, deve negociar um valor que a empresa deve pagar pelas despesas com energia, equipamentos, infraestrutura, alimentação, entre outros gastos que o contratado pode ter em seu home office.

Além disso, o trabalhador remoto possui direitos como: férias, 13º salário, recolhimento do FGTS, vale transporte para os dias nos quais foi necessário deslocamento, etc., assim como outro trabalhador comum.

Agora que você já entendeu como o home office funciona, confira nossa lista de dicas para que você consiga fazer vendas home office com sucesso:

Vendas home office: o que eu preciso?

1 – Equipamentos

Se você pretende que seus colaboradores realizem home office, é necessário que sejam fornecidos os equipamentos necessários para a realização das atividades. Materiais como notebooks, headsets, monitores, e outras ferramentas físicas que possam ser deslocadas da empresa para a casa do colaborador.

Às vezes, o colaborador pode usar seus próprios equipamentos no home office. Entretanto, o computador pessoal pode não conter certos softwares, arquivos ou configuração suficiente para trabalhar. Portanto, por mais que um empregado possa usar seus próprios equipamentos, é sempre bom estar preparado para momentos nos quais isso não for viável.

2 – Mantenha a interação

Algo difícil de manter funcionando no modelo home office é a interação entre os colaboradores. De fato, ela sai prejudicada, mas é possível atenuar esse problema com algumas práticas simples.

Manter os colaboradores em uma sala online com a webcam ligada, por exemplo, ajuda a aumentar a sensação de proximidade. De repente, rola até tocar o sininho das vendas na sala online!

3 – Tenha processos bem definidos

Para fazer home office, é necessário que os processos da sua empresa sejam bem definidos e estabelecidos. Se cada colaborador realiza as atividades de um jeito na empresa, isso é algo ruim. Mas, se cada colaborador realiza as atividades de um jeito sem ter contato com a empresa, é pior ainda. As chances de dar tudo errado são grandes.

Leia também: Como vender em tempos de crise: 10 dicas poderosas para alavancar seu processo de vendas

Sendo assim, antes de mandar seus colaboradores para o home office, certifique-se de que os processos estão bem definidos e que as equipes têm autonomia suficiente para realizar as atividades sem supervisão direta.

4 – Tenha uma política de home office documentada

É importante que você tenha uma política de home office devidamente documentada, que estabeleça regras para a realização dessa modalidade de trabalho na sua empresa. A política de home office deve deixar claro:

  • Quais cargos podem fazer home office?
  • Quantas vezes por mês ou por semana um colaborador terá direito ao home office?.
  • Quais serão as condições para que o pedido de home office seja aceito? (pedir com antecedência, por exemplo).
  • Quais equipamentos serão cedidos pela empresa?
  • Haverá algum valor pago ao colaborador relacionado aos custos do home office?
  • Quais são as obrigações do colaborador enquanto estiver trabalhando remotamente?
  • Quais são as obrigações dos gestores quando um colaborador estiver trabalhando remotamente?
  • Entre outras questões.

5 – Softwares e ferramentas

Na hora de fazer home office, é indispensável utilizar softwares que auxiliem a realização do trabalho nessa modalidade. Ferramentas como:

Artia

Artia apontamento de horas

Artia é um software de gerenciamento de projetos amplamente utilizado para controlar projetos e processos. Entre as principais funcionalidades, podemos citar o apontamento de horas, na qual o colaborador indica quais atividades estava desenvolvendo em cada hora de trabalho, justificando o tempo gasto e garantindo que ele estava, de fato, trabalhando. Além disso, o software possui ferramentas que auxiliam na organização do trabalho remoto, como Kanban online e lista de atividades.

Fleeg

Realizar vendas

Para manter o controle do processo comercial, um CRM de qualidade é necessário. Muito mais do que guardar informações, o gestor deve ser capaz de acompanhar o funil de vendas de cada vendedor, gerar previsões de vendas e relatórios automáticos, tudo isso enquanto mantém a comunicação funcionando dentro do próprio software e o vendedor consegue realizar as ligações para os clientes. Para isso, o Fleeg é indispensável.

Apps de controle de ponto

É importante que o colaborador em home office bata ponto como qualquer outro. Entretanto, como leitores de cartão ou impressão digital não estarão disponíveis, é importante utilizar um aplicativo de controle de ponto. Existem diversos desses apps, como o PontoMais, PontoGo ou Ponto Fácil.

Apps de comunicação

É de extrema importância manter a comunicação no trabalho remoto. Por isso, também é necessário utilizar aplicativos de comunicação como o Skype, Hangouts ou Zoom, e incentivar os colaboradores a utilizá-los, mesmo que seja para jogar conversa fora, como fariam em um dia normal de trabalho.

Twygo

Outro fator que não pode passar despercebido é a questão dos treinamentos corporativos. Adotar regime de home office não significa que o colaborador que trabalha nessa modalidade deve ficar sem treinamento. É por isso que uma Plataforma EAD é essencial. O Twygo foi pensado especialmente para treinamentos corporativos, portanto, trata-se da melhor solução.

É bastante coisa, não é? É por isso que decidimos simplificar tudo para você e colocar todas essas ferramentas em um único local, o Performa Home. Criando uma conta no Performa Home, você tem acesso ao Fleeg, ao Artia, e ao Twygo, tudo em um único lugar e de forma integrada.

Assim, você pode manter o controle dos projetos e processos, do setor comercial, dos treinamentos corporativos e ainda manter a comunicação entre as equipes funcionando. Melhor ainda: ele é totalmente gratuito. É só criar a conta e começar a usar! Clique no banner abaixo e conheça o PerformaHome.

PerformaHome