Dentre as diversas estratégias de marketing utilizadas no mercado, o e-mail marketing é uma das mais populares. Ele pode ser utilizado para envio de conteúdo promocional, newsletters, ou educar o potencial cliente para que ele avance no funil, fazendo nutrição. Estima-se que 72% dos consumidores preferem o e-mail como canal de comunicação para empresas. Nesse sentido, a importância de saber como fazer e-mail marketing corretamente e sem ser spam é maior a cada dia.

Sendo assim, vamos te ensinar como montar e-mail marketing do jeito certo com uma lista enorme de dicas. Vamos nessa? Siga lendo para saber de tudo!

7 dicas para aprender como fazer e-mail marketing

1 – Gere suas próprias listas

Antes de tudo, precisamos falar sobre a geração de listas. É muito importante que você gere suas próprias listas e não compre de terceiros, por diversos motivos. Quando você compra uma lista de e-mails, não é possível garantir que os leads ali presentes possuem qualidade. Além disso, eles nunca manifestaram nenhum tipo de interesse no seu produto ou sequer no seu ramo de atuação, o que faz com que essa prática beire os limites éticos dentro da profissão.

Ainda, a exclusividade desses leads é 0, já que a mesma lista pode ter sido vendida para um concorrente.

Por isso, o ideal é capturar os leads você mesmo. Isso pode ser feito por meio de páginas de captura ou formulários contidos em posts e pop ups. Já ensinamos, aqui no Fleeg, a criar excelentes páginas de captura que realmente convertem. Não deixe de ler nosso post para saber tudo sobre o assunto.

2 – Utilize o funil de conteúdos

Quando falamos sobre e-mail marketing, precisamos lembrar que um dos objetivos mais comuns é nutrir o lead para que ele fique pronto para a compra. Para isso, não basta enviar e-mails vazios ou novas ofertas do seu produto. Na verdade, o ideal é que você envie conteúdo relevante para o estágio da compra no qual o lead se encontra.

É preciso identificar grupos de contatos que possuem interesse em temas específicos, de modo a enviar conteúdo segmentado que aumente a probabilidade desses leads manterem contato com a sua empresa.

Para saber o que enviar e no momento certo, o ideal é mapear a jornada de compra do cliente. Imagine o seguinte: Amanda, uma jovem universitária de 20 anos, possui diversas plantas em casa, mas está tendo problemas para mantê-las vivas. Para resolver essa situação, ela decide pesquisar na internet “como manter minhas plantas vivas” e acaba encontrando um e-book da empresa Adubos Top. Para baixar esse e-book, Amanda preenche um formulário no qual ela informa seu e-mail.

A partir disso, a equipe de marketing da Adubos Top começa a enviar e-mail marketing com conteúdo que ajude a Amanda a entender quais os problemas que cada uma das suas plantas pode estar tendo. Esses e-books também ensinam como a utilização de adubos é uma das práticas que ajudam a manter as plantas vivas.

Após entender qual o tipo de adubo certo para cada planta, Amanda decide comprar alguns pacotes e, como manteve uma relação direta com a Adubos Top, decide comprar dessa empesa.

Nessa historinha, podemos mapear mais ou menos o seguinte ciclo:

Jornada de compra

  • Sintomas são as dúvidas ou dores do lead, cuja causa ainda é desconhecida para ele. Nesse caso, o sintoma era o fato dela não conseguir manter suas plantas vivas.
  • Problema é o momento em que o lead identifica qual problema está causando essas dores. Para Amanda, o problema era a falta de adubos adequados para suas plantas.
  • Solução é quando o lead encontra a solução para o problema identificado. Aqui, Amanda descobriu que a solução era utilizar adubos para nutrir a terra manter suas plantas saudáveis.
  • Aquisição é quando o lead decide qual produto de qual empresa é o ideal para promover a solução. Os adubos da Adubos Top foram os produtos escolhidos por Amanda.

Em cada uma dessas etapas, Amanda tinha expectativas e necessidades específicas. Por isso, o tipo de conteúdo que será enviado no e-mail marketing deve ser diferente de acordo com a etapa da jornada em que o lead se encontra.

Se ele ainda está descobrindo o problema, talvez ainda não seja útil mandar conteúdo promocional, pois ele ainda nem entendeu para que o seu produto serve. Nessa historinha, a Adubos Top começou enviando conteúdo que ajudou a Amanda a entender a necessidade de adubos, para só depois oferecer o produto.

O funil de conteúdo pode ser uma ferramenta valiosa para te ajudar a escolher o que enviar para cada lead da sua base de contatos. Veja:Funil de conteúdos

Com base no conteúdo que o lead já consumiu, é fácil identificar em qual etapa do funil de conteúdos ele está. Por exemplo: se alguém já chegou no site da Adubos Top pesquisando tipos de adubo, é provável que ela já tenha percebido que suas plantas precisam de adubo e, portanto, não se encontra mais no topo do funil. Sendo assim, não é necessário enviar conteúdo sobre a importância dos adubos para essa pessoa.

É interessante, também, que você possua um cronograma de conteúdos, para que você sempre tenha algo planejado para enviar para o seu lead no momento certo.

3 – Encontre a linguagem correta

Saber como se comunicar com os leads é imprescindível na hora de fazer e-mail marketing. Você deve prestar atenção na sua persona e no seu público-alvo para identificar a linguagem mais apropriada que impacte o contato da forma desejada.

Você pode ser mais sério, descontraído, engraçado, tranquilo, motivado, etc. Na hora de escrever, preste atenção nesse detalhe.

4 – Faça e-mails curtos

Quando falamos de e-mail marketing, você precisa entender que ele vai estar na caixa de entrada de alguém no momento em que essa pessoa estava checando os e-mails. Ela não quer ler um livro em forma de e-mail e não vai parar o dia só para ler o que você tem a dizer.

Por isso, é muito importante que todo e-mail vá direto ao ponto e seja o mais breve possível.

É claro que há exceções para essa dica. O conteúdo de uma newsletter, por exemplo, naturalmente pode ser mais extenso. O importante, no entanto, é preciso saber dosar o tamanho do e-mail de acordo com a proposta de disparo.

5 – Preste atenção no assunto

É necessário prestar muita atenção na linha de assunto do e-mail, que é quase como um título. De nada adianta criar um e-mail marketing super interessante, se você não conseguir convencer o lead a abrir a mensagem.

É aí que entra o assunto: escrever uma linha de assunto de e-mail instigante é 50% do trabalho de fazer e-mail marketing corretamente. Sem assuntos interessantes, suas taxas de clique ficam lá embaixo e você não consegue converter em vendas.

Aqui no Fleeg, pensamos em pelo menos 5 assuntos de e-mail para, depois, escolher o melhor. Você pode achar que o primeiro está bom, mas pensar em outros 4 tentando obter algo cada vez melhor vai fazer com que você obtenha frases ainda mais convidativas.

6 – Utilize uma assinatura de autoridade

Uma estratégia utilizada por muitas empresas na hora de enviar e-mail marketing é utilizar assinaturas de autoridade. Isto é, o e-mail pode ter sido criado por qualquer pessoa do time de marketing, mas quem assina aquele e-mail é o gerente de marketing, para gerar autoridade. Isso ajuda a dar importância e credibilidade aos e-mails disparados.

Entretanto, alguns gestores podem se sentir desconfortáveis em ter e-mails em seu nome sendo enviados por terceiros. Passar esses e-mails por uma aprovação do gestor pode ser uma alternativa viável.

7 – Cuidado com filtros de SPAM

Não há nada pior do que seu e-mail marketing cair na caixa de SPAM. Além do seu e-mail não ser lido, ainda corre o risco do seu endereço de e-mail ser banido por envio de SPAM, o que vai te impedir de continuar seus fluxos de nutrição e campanhas.

Para evitar essa situação, é necessário prestar atenção em alguns detalhes:

  • Palavras típicas de SPAM, como “incrível”, “Promoção”, “Ligue Agora”, “Urgente”, “Só até amanhã” e outras nessa linha não devem ser utilizadas de forma exagerada, pois podem fazer com que seu e-mail seja classificado como SPAM. Além disso, ninguém acredita muito em e-mails com assuntos assim.
  • Outras vítimas frequentes de filtros de SPAM são e-mails com assunto em cores chamativas, como vermelho ou verde.
  • Assuntos escritos em Caps Lock também podem cair em filtros de SPAM. Ou seja: não grita com seu lead.

Bônus – Utilize indicadores

Após iniciar seus fluxos de nutrição e campanhas de e-mail marketing, é importante que você analise os resultados que estão sendo obtidos para identificar pontos de melhoria. Para ajudar a mensurar o sucesso da sua estratégia de e-mail marketing, utilizar indicadores é essencial. Seguem abaixo os mais utilizados:

Taxa de abertura

Como o próprio nome já diz, a taxa de abertura diz respeito à quantidade de leads que abriram o e-mail que você enviou. Ela ajuda a entender a eficiência da linha de assunto escolhida para o e-mail, afinal, se um lead não abriu a mensagem, é provável que o assunto não esteja chamando muito a atenção dele.

Taxa de cliques (CTR)

A taxa de cliques serve para saber se, após abrir seu e-mail, o lead se interessou no conteúdo e clicou nos seus links. Assim, você pode saber a quantidade de tráfego que foi gerada para o seu site, conteúdo ou página de produto por meio de e-mail marketing.

É possível calcular a porcentagem de CTR pode meio da seguinte formula:

Taxa de cliques = (número de cliques / número de e-mails enviados) * 100

É importante observar a taxa de cliques e a taxa de abertura conjuntamente, para saber se os leads chegaram a abrir seus e-mails e, se abriram, se interessaram ou não pelo conteúdo.

Taxa de conversão

A taxa de conversão mede a quantidade de pessoas que concluíram uma ação específica, o objetivo do seu e-mail marketing. Por exemplo: se você enviou um e-mail com uma promoção, a taxa de conversão indicaria quantas pessoas clicaram no link e compraram o produto.

Entretanto, nem sempre o objetivo do seu e-mail vai ser converter uma venda. Talvez a conversão desejada seja outra, como baixar um material rico ou agendar uma ligação.

ROI

É claro que o cálculo do ROI do e-mail marketing não poderia faltar aqui, pois se trata de um dos principais indicadores não só de e-mail marketing, mas do marketing como um todo.

ROI é um cálculo que indica a quantidade de receita obtida graças a algum investimento –nesse caso, e-mail marketing– para que você saiba se os investimentos valeram a pena ou não.

Calcular o ROI do e-mail marketing pode ser uma tarefa um pouco complicada, pois é preciso saber quantos clientes foram adquiridos graças às campanhas de e-mail. Para saber quais clientes foram adquiridos dessa forma, uma ferramenta de automação de e-mail marketing pode ajudar.

A automação de e-mail marketing possui uma série de benefícios, mas não vamos cita-las aqui, pois temos um post inteiro dedicado apenas a falar desse assunto: o nosso guia da automação de e-mail marketing. Não deixe de ler se quiser saber o que é, dicas e muito mais!